29 março 2010

Duatlo de Póvoa de Varzim

Meus amigos, sobre esta minha estreia num Duatlo só posso dizer o seguinte: Espectacular!

Desde o princípio ao fim diverti-me bastante e só tenho pena de não ter decicido participar numa prova destas mais cedo, porque todo o ambiente foi realmente fantástico. Neste particular tenho a agradecer ao Rui Pena que me convenceu!

Cheguei relativamente cedo ao Parque da Cidade da Póvoa onde ainda estavam a finalizar a montagem de toda a estrutura de apoio ao Duatlo.
Assim fui dos primeiros a levantar o dorsal e logo ali encontrei o Henrique do Clube Veteranos do Porto detentor de um currículo extraordinário e que seria a pessoa ideal para ir pedindo algumas dicas e conselhos!

Logo de seguida tive o prazer de conhecer o Melo do blog O Caminho para Ironman. Trata-se de um verdadeiro blog na medida em que regista diariamente a sua evolução nas braçadas, passadas e pedaladas que vai dando até chegar ao seu objectivo final: concluir um Homem de Ferro. As maiores felicidades para ele!

Ainda faltava algum tempo e fui preparar a minha humilde bicicleta. Apesar de estar em excelente estado (fruto do pouco uso que lhe dei desde que a adquiri há cerca de 7 anos) não era (segundo vim a perceber mais tarde) a bicicleta mais adequada para BTT.
Sem amortecedores, com a roda de trás um pouco empenada,fazendo com que a bicicleta trave por si só e com a forqueta montada de uma forma que eu não consigo descrever (talvez depois tire uma foto para mostrar aqui) tentei protelar ao máximo o momento em que teria de a retirar da mala do carro.
Mas lá teve de ser...:D
Logo descobri outro defeito que foi o de ter vindo a pedalar nesta bicicleta com o selim numa altura completamente desajustada. Em termos de bicicleta os treinos que tenho feito são de spinning num ginásio. Treinos de bike em estrada foram nulos e neste aspecto acho que posso deitar culpas ao clima que toda a gente concordará.

Tentei ajustar a altura, mas o parafuso do selim não estava bem apertado o que fazia com que o mesmo fosse sempre para baixo. Localizei então novamente o Henrique que me aconselhou a ir procurar o Paulo Neves também do CVP (até ontem meu amigo virtual) e também um autêntico ciclista, aliás como todos eles! Claro que fiquei logo ali com o meu problema resolvido no que à altura do selim diz respeito. Obrigado ao Paulo Neves pela simpatia.

Encontrei depois alguns dos meus habituais companheiros de provas de corrida o Miguel Paiva, o Pedro Paiva (irmão do Miguel e que hoje também fez uma grande estreia), o Rui Pena, o Miguel Torres e o João Fernandes

A prova atrasou-se bastante e fomos conversando enquanto fazíamos o aquecimento. Quando começamos a ouvir o anúncio de preparação para a partida lá nos encaminhamos para o local, mas tal era a descontração dos cerca de 120 atletas que ninguém diria que iria existir uma competição.
De repente e para minha surpresa começa toda a gente a correr. Não ouvi tiro de partida nem nada. Foi uma largada um pouco atribulada, mas pelos vistos fomos todos surpreendidos menos os que estavam na frente talvez.

Sabedor do meu handicap no BTT tentei dar o máximo na corrida. O Pena disse-me que o seu objectivo seria alcançar-me durante a bicicleta e eu iria tentar fugir dele! :D
Foram duas voltas dentro do Parque da Cidade que completei em aprox. 18m35s para 4900 metros. Presumo ter chegado relativamente bem classificado ao Parque de Transição, mas a partir daí seria uma incógnita.

Antes da prova a organização avisou que o percurso era plano e que seria feito em zonas massacradas pelos pneus dos tractores. Não seria muito mau. Já tinha feito no passado passeios em BTT embora de pouca distância, isto é, meia dúzia de Kms...

Voltando à prova e iniciado o segmento do BTT (18700m) o primeiro Km foi em estrada de paralelo, mas logo ali comecei a ser ultrapassado e ainda tentei seguir com eles, mas era nitidamente impossível. Entramos depois nos trilhos paralelos à auto-estrada e ali o terreno já era um pouco mais traiçoeiro pensava eu para mim mesmo, mas a adrenalina impelia-me a avançar e para mim aquilo era velocidade qb
Depois começamos a entrar por caminhos em cada vez pior estado e eu só via toda a gente a passar por mim de "mota".
Confesso que até abrandava para não atrapalhar o caminho.
E assim lá fui passado primeiro pelo João Speedy Fernandez que nem me viu. Ainda assim ainda tinha alguma energia para seguir na cola dos que me iam passando durante algumas dezenas de metros.
O percurso esse ficava cada vez pior, mas honestamente estava a divertir-me bastante aquela lama toda. Acho que para ser perfeito só faltou ter caído uma valente carga de agua. Eh eh

Depois fui alcançado pelo Rui Pena e pelo Miguel Torres acho que ainda durante a primeira volta e que me deram força, mas era francamente impossível ir com eles mais que algumas centenas de metros. Nunca olhei para o relógio. Só pedalava e desviava-me dos obstáculos e apenas tive noção da distãncia quando terminou a primeira volta que consegui completar sem ter sido necessário desmontar da bicicleta.
Nessa altura tinha os braços em fanicos por causa da trepidação constante e comecei a acusar a falta de pedalada, mas no fundo também não queria que aquilo acabasse tão depressa!
2a volta pelo mesmo caminho mas as forças já começavam a faltar. Abrandei e comi uma barrita de cereais que acabou por me dar alguma energia.
O terreno já estava mais mastigado pela passagem das bikes e houve fases em que tive de desmontar. Numa determinada zona forcei um pouco e ...22 anos depois (mais coisa menos coisa)... voltei a dar um malho de bicicleta!

Mas foi um Senhor TRALHO! Daqueles de voar por cima da bicicleta! Eheh ! Fantástico! A minha sorte é que aquilo era terra fofa e não deu para magoar a sério. Levantei-me e continuei a minha vida. Perdi o atleta que ia à minha frente e com ele a minha referência, porque é sempre mais fácil seguir atrás de algue´m embora todo o percusrso estivesse impecavelmente sinalizado.
A verdade é que um pouco mais à frente e sem perceber como dei comigo numa encruzilhada que não estava sinalizada....olho para trás e não vejo ninguém ....estava mesmo a decidir-me por um dos caminhos quando volto a olhar para trás e vejo dois atletas a passar (um dos quais seria o Miguel Paiva). Voltei para trás e retomei o caminho correcto, mas já sem pernas para encetar qualquer recuperação. Quase o terminar o BTT ainda tive tempo para mandar outro espalhanço mas esse não foi nada de espectacular e doeu mesmo.

Entrei no PT para a segunda parte do segmente de corrida e os primeiro metros custaram um pouco.Ainda terei ultrapassado 2 ou 3 atletas e tive o Miguel em linha de mira mas já não dava para alcança-lo. Terminei satisfeito em 67º lugar entre 112 chegados à meta.

Resultados aqui

Concluindo: fiquei fan deste desporto e tenciono repetir logo que possível e de preferência com mais treino de bicicleta. Estou com uma sensação idêntica à que tive logo a seguir à primeira Meia Maratona em que participei. Na altura só tive coragem de voltar a entrar noutra Meia cerca de 3 meses depois.
Ou seja, ganhei algum respeito ao Duatlo e da próxima vez quero fazê-lo com um pouco mais de segurança, embora me tenha divertido bastante volto a dizê-lo.

Uma palavra final para a bicicleta que resistiu a este tratamento. Ainda vou avaliar os estragos, mas serviu bem para este propósito!

Bons treinos e Até Paris!

14 março 2010

Corrida Dia do Pai


Participei hoje na Corrida do Dia do Pai, um evento com o cunho da RunPorto que atraiu cerca de 12.000 pessoas ao Parque da Cidade do Porto!

Parte do valor da inscrição revertia a favor da Operação Nariz Vermelho .

Desta vez a minha estratégia era...não ter estratégia! :D

Saí de casa e fui a correr até ao local da prova passando pela Baixa do Poro(cerca de 9K)e onde cheguei quase em cima da hora. De seguida começou a prova e encontrei o Novais dos Leões do Veneza, (já completamente recuperado de uma lesão que o apoquentou nos últimos tempos) com quem tive o prazer de fazer toda prova em 46m42s para os 10K exactos.

Terminada a prova voltei a correr para casa pela marginal. Foram cerca de 11K para totalizar 30 em cerca de 2h35 minutos. Senti-me como se tivesse corrido uma Maratona o que não é nada positivo a cerca de 1 mês de Paris...

Resultados aqui

05 março 2010

XX Meia-Maratona Cego do Maio - Póvoa de Varzim

Estive hoje presente na 20ª edição de Meia Maratona Cego do Maio na Póvoa de Varzim, a minha prova talismã, porque foi aqui que o ano passado bati o meu recorde na Meia Maratona.

O facto do percurso ser quase plano (ver abaixo o gráfico) convida muitos atletas a aqui tentarem as suas melhores marcas e eu não fui diferente, mas só o RP não me era suficiente dado que desde o ano passado que procuro baixar de 1h20 sem sucesso.

-clicar para ver maior-

Antes de passar ao relato dou mais uma vez parabéns à organização que esteve impecável em todos os aspectos. Destaco o facto de me ter sido possível efectuar o aquecimento dentro do pavilhão onde era feita a recolha dos dorsais. Choveu intensamente até ao início da prova e isso impediu que chegasse à linha de partida completamente encharcado!

Tal como referi comecei a prova determinado a manter um ritmo que me permitisse fazer abaixo de 1h20m. Uma distracção levou a que só ligasse o relógio em cima da hora de partida o que não deu tempo para apanhar sinal GPS desde o princípio da corrida (ficou com uma diferença de 300 metros), mas as placas permitiram-me controlar o ritmo.

Para atingir o meu objectivo tive o Capela em linha de mira até ao K5, o que fez com passasse neste parcial em 18m21s.Se arriscasse um pouco e me sentisse bem até poderia ter uma surpresa...!

No K10 já ia perdendo rendimento o que fez com que passasse com 19m09s, mas ainda assim exactamente em cima do planeado que era 37m30s, aliás muito perto do meu melhor aos 10 Km, em parte auxiliado por ir puxando alternadamente com um companheiro na tentativa de chegar a um grupo numeroso que seguia mais à frente, mas creio que esta tentativa de recuperação arruinou um pouco a restante corrida dado que me devo ter desgastado para além da minha conta.

Tomei um gel e continuei a palmilhar a estrada-
Perdi alguns segundos na ingestão do gel e fui reduzindo a passada para um ritmo mais "confortável" com alguns km na casa dos 4 minutos... porque já não dava mais e nesta altura fui passado por muita gente o que animicamente também não ajudava nada.
Passei ao K 15 com com 57m10s (estive a consultar os meus registo e também representa uma melhor marca aos 15Km para mim), já distante dos 56m15s que precisaria para atingir o objectivo.
Daqui para a frente posso dizer que foi difícil!
Ainda consegui aproveitar a boleia de um grupo que me ajudou até ao K20 onde passei com 1h17m09 e na recta da meta aproveitei o ânimo do Carlos Coelho dos Dasdikes que me permitiu concluir em 1h2151s e tirar cerca de 20 segundos ao meu melhor registo.

Para melhorar há que treinar mais séries e tempo-runs que é uma coisa não tenho feito com muita qualidade.

No final ainda estive à conversa com o Carlos e como todo o seu grupo ficou viciado na Corrida!
Encontrei depois o Capela e o Rui Pena que também bateram os seus recordes pessoais!

Alguns segundos de conversa com o Rui bastaram para me convencer a estar presente no Duatlo da Póvoa que vai ocorrer no próximo dia 28 Março. Vai ser uma aventura dado que a minha bicicleta é um autêntico "tractor", mas a ver vamos.
Já tinha adiado esta ideia até ter uma melhor preparação, mas também já andava a matutar no assunto depois de ler este post do Miguel Paiva. Boa sorte para mim dado que de bicicleta só mesmo passear! :-D

Resultados

Registo do Percurso no Garmin Connect
(com menos 300 metros pelo motivo referido)

Próximo desafio: Duatlo da Póvoa de Varzim
e
possivelmente Corrida do Dia do Pai

03 março 2010

Blogosfera Corredora














Esta semana este meu humilde blog é destacado num dos melhores espaços virtuais sobre corrida que conheço: Correr por Prazer

Parabéns ao Vítor Dias pela rubrica que criou e onde vai dando a conhecer os Cyber Runners e também pelo seu site, à Filipa Vicente e à Ana Maria de Freitas pelos excelentes artigos com que nos vão presenteando.