13 novembro 2011

Maratona Porto 2011

 
A 8ª Maratona do Porto parece-me uma boa oportunidade para reactivar este blog moribundo! 

Desta vez assisti pelo lado de fora embora inicialmente estivesse inscrito para os 14K que partilham parte do do percurso da prova rainha. Coincidência ou não, tal como o ano passado, passei a véspera mal disposto. No dia acordei febril e optei por não fazer os 14K e apenas assistir à passagem dos Guerreiros.

Plantei-me logo à saída da Ponte D. Luís e assim pude ver a passagem ao 27º e 31º Km. É uma zona com algum público e onde os atletas recebem um apoio importante. Da minha parte fui incentivando sempre que possível e acreditem que também não é tarefa fácil. :D

Reconheci muita gente e também fui reconhecido por muitos amigos o que me alegrou bastante!
A caravana ia passando e foi bastante interessante verificar o desafio pessoal que os olhos de cada um encerravam.
Nos primeiros (dos amadores, porque os profissionais não cheguei a tempo) vi a concentração própria de quem corre depressa. Foco na estrada e na passada. Delicioso. Até parecia fácil.
Depois vi a alegria de quem corria sem qualquer preocupação aparente. Sorrisos rasgados de quem parecia fazer a prova de forma tranquila (se isso é possível numa maratona).
Vi também alguns "muros". Afinal estava ali em cima do 30º. 
Vi alguns já a saírem da Ponte a passo. Revi-me um pouco na minha primeira Meia Maratona. 1 passo maior que a perna, mas cada qual com a sua história pessoal.... 

Não participei porque a Razão assim mo ditou. 
Mas está visto que a Maratona é uma prova de Coração e confesso que fiquei com inveja de vos ver a passar Amigos!
Parabéns a todos!

1 abraço e Bons treinos

13 agosto 2011

Recomeçar!

O lado positivo de uma paragem forçada é voltarmos com a motivação em alta! Correu tudo bem e no dia 4 Agosto voltei "às pistas" muito calmamente! :D

Julho foi mês de férias e de Volta à França. As etapas coincidiam sempre com aquele período pós-almoço em que ainda é muito quente para ir para a praia e vibrei com o "Cadel Evans Show" bem como as prestações de todos aqueles ciclistas. Também temos portugueses na linha da frente das grandes provas de ciclismo e o Rui Costa foi exemplo disso

Ainda hoje corre-se também a etapa raínha da nossa "Volta a Portugal" . Confesso que sempre acompanhei o Giro, o Tour, a Volta a Portugal, etc, mas nunca com tanto interesse e com isso cresceu o interesse de superar algumas montanhas nos próximos tempos.

A paragem e as férias também serviram para reflexão e revi-me bastante neste post do André . Acho que não somos muito diferentes e é natural estabelecermos metas para nos sentirmos motivados. Tudo Ok se no dia seguinte mudar de ideias e baixar a fasquia. Se quiser subir a fasquia e falhar terá sido sempre uma forma de aprendizagem. O importante é não ficar parado!

Da minha parte vou tentar sempre fazer melhor que no dia anterior e logo que possa vou partilhar aqui a minha experiência. Foram os blogs que sempre me motivaram e um dos exemplos mais recentes foi também este relato do Vasco sobre o Oh Meu Deus! Até dá vontade de fazer igual ! Mas o que quero reforçar é que na parte inicial do post a ideia dele era não escrever nada, mas ainda bem que escreveu. Obrigado a todos o que nos vão motivando com os seus textos.

1 abraço e Bons Treinos

28 junho 2011

Stop!

Paragem forçada mas necessária. Coisa pouca à beira de infelicidades alheias bem mais graves infelizmente ...

Sem histórico de lesões até à data fui surpreendido no início de Maio, após um treino, por um incómodo na zona da virilha. Um análise mais cuidada revelou um pequeno inchaço. Em conversa com colegas que praticam desporto regularmente o diagnóstico foi rápido: hérnia inguinal.

Em véspera de Meia Maratona de Cortegaça optei por ficar de fora com muita pena minha e marquei uma ecografia que veio a confirmar a suspeita.

Parei de treinar corrida e 1 semana depois abdiquei também do Triatlo Sprint de Montemor para não forçar muito. Não estava a treinar nada de especial que justificasse a lesão, mas a verdade é que a dita já cá devia andar a moer há algum tempo, porque já sentia algum desconforto abdominal que sempre associei ao cansaço próprio das provas.

Continuei a nadar e pedalar, com pouca intensidade, porque ainda assim estava decidido a participar na Estafeta do Triatlo Longo de Aveiro fazendo a Meia Maratona. Depois de algumas pesquisas percebi que não é totalmente impeditivo que se continue a treinar e o melhor exemplo que encontrei foi o do Emanuel Silva, atleta olímpico da Canoagem que segundo percebi fez os JO de Pequim com uma destas "à perna"(salvem-se as devidas comparações).

Na própria semana e apesar de não ter dores (creio que eram dores psicológicas) optei por também não fazer esta Meia.
Mais à frente falhei o Triatlo de Peniche onde também gostava de ter ido e mais recentemente o Campeonato de Europa de Age Groups aqui bem pertinho em Pontevedra. Desilusão....

Ou seja, ossos do ofício, mas nada de muito grave, embora só possa ser resolvido de uma maneira: cirurgia.
Sugestionado pela hérnia já me parece ter também sintomas de uma pubalgia! Pfft!

Decisão sábia: parar até resolver isto, em princípio depois das férias na 1ª quinzena de Julho.
Depois voltar com calma, mas prognósticos só depois do jogo... por isso...
Até Já companheiros!!

23 abril 2011

7º Duatlo Perosinho -2011

Participei hoje no meu primeiro Duatlo de estrada e fiquei fã desta pequena prova simpaticamente organizada pelo Clube de Triatlo de Perosinho e cujo anfitrião foi o hospitaleiro Venceslau Fernandes, antigo vencedor da Volta a Portugal e também pai da Super Campeã Vanessa Fernandes que ilustra o poster da prova.
Destaque para um dos patrocinadores: Gruta Cola. Não conseguiria fazer o "Coke Challenge" sem errar. Só o nome é que é uma facada no marketing (ou não)!

A chuva terá afastado alguns participantes que experimentariam pela primeira vez um duato e daí a reduzida participação (ainda não saíram os resultados mas estimo que cerca de 50 atletas no máximo).
A equipa mais bem representada terá sido o Porto Runners!

4,4Km + 20Km +2,2 Km era o menu disponível. O piso molhado aconselhava a que se corressem poucos riscos no ciclismo, mas durante a prova ninguém se lembra disso. Ou pelo menos eu não me lembro...:D (sorte a minha que ando pouco).

Dada a partida e rapidamente fiquei para trás. Poucos atletas, mas ainda assim com muito boa gente a correr forte. Duas voltas a percurso em paralelo. O objectivo era sair inteiro da corrida e ver como me iria sentir na bicicleta.
Não faço ideia da posição em que saí da primeira corrida, mas passadas as duas voltas cheguei à conclusão que ando preciso de voltar a treinar corrida decentemente.

Fiz uma transição bem rápida que só pecou na hora de colocar os pedais de encaixe. Consegui ir na roda de dois miúdos durante quase toda a primeira volta, mas na subida final fiquei para trás e entregue à minha sorte.
Rapidamente fui sendo alcançado por sucessivos atletas que era incapaz de seguir, o que era previsível. Ainda assim menos do que estaria à espera.
Nas subidas consegui perceber na pele porque chamam ao Ciclismo um desporto de "sofrimento". Ufa!
Além disso a chuva não deu tréguas durante toda a prova e foi com muita sorte que não saí da estrada por duas ou três vezes. Esse foi também 1 dos grandes feitos do dia!

Cheguei novamente à corrida, mas percebi também que tinha gasto demasiada energia no ciclismo e que deveria ter usado um gel, uma vez que senti uma ligeira quebra. Voltei a não conseguir imprimir o ritmo desejável terminando com um tempo final à volta de 1h20m (não sei o tempo exacto dado que apenas iniciei o cronómetro a meio da primeira volta de corrida).

Fiquei fã e vou voltar!


Percurso no Garmin Connect:



21 abril 2011

Triatlo Coimbra 2011

Grande prova na bonita cidade de Coimbra! Não a minha, que não posso esperar muito, mas toda a prova em si!
Fiquei satisfeito por ter a oportunidade de participar nesta prova e apesar da prestação sofrível posso afirmar que nadei, pedalei e corri com prazer, terminando com a sensação de dever cumprido (ok, nadar não foi assim aquele feeling excepcional, mas pronto).

Desloquei-me a Coimbra na companhia do Miguel Torres e Jorge Carneiro para o meu segundo triatlo da época (terceiro no total). Conversa agradável sobre Triatlo e... Futebol!
1 hora de caminho do Porto e chegamos ao local cerca de 1 hora. As vantagens de ser licenciado permitem dispensar as burocracias do levantamento do dorsal e afins.

Encontrar e cumprimentar alguns colegas, desejos de boa sorte e chega a hora dos preparativos. Colocar o material no PT já começa a ser uma tarefa mais fácil, mas vestir o fato isotérmico continua a ser uma tarefa complexa (mesmo assim menos do que tirá-lo).

Aproxima-se a hora da partida e o nervosismo pré-natação é indisfarçável. A partida é na marge oposta ao PT1. Atravessamos a ponte pedonal a pé para evitar o "desgaste" de nadar mais do que os 750m exigidos pelo percurso.
Entro na água. 13ºC. Brrr! Nado para uma zona solarenga e ali vou dando umas braçadas de aquecimento. O fato aperta-me o peito e não me deixa respirar confortavelmente.
Nota mental:tenho de ganhar coragem e passar a fazer uns treinos com fato em Matosinhos. Ou então na piscina que se lixe! LOL
Permaneço bem atrás. Claro. Na frente era a afogação garantida.

Swim: Soa o claxon! Friozinho na barriga! Meia dúzia de remadas e não consigo encontrar o ritmo. Aparentemente até à primeira bóia era a favor da corrente, mas nem consegui tirar vantagem disso.
Primeiros 100 metros e dava-me a sensação que já estava a nadar há séculos! (e estava mesmo).
A agua está agitada e interfere na minha "apurada" técnica...Tento nadar e olhar em frente para evitar as dificuldades de navegação de Alpiarça, mas isso cansa-me ainda mais...
Vou pensando na vida e vejo um colega a nadar para a margem. Desistir é que não!

Enfim chego à primeira bóia e pareço ganhar um novo alento. O fato já não me incomoda tanto e começo a encaixar bem a respiração bi-lateral o que me facilita bastante a tarefa. Finalmente boas sensações na agua! WOW!
Não faço ideia do tempo que terei demorado a fazer a primeira e segunda parte da natação, mas a parte final correu-me francamente melhor. Lá entrei na baliza final quase em último e subi a plataforma com algum custo (tenho que passar a deixar de sair da piscina pelas escadas para treinar também esta parte). Tempo na agua: 21m08s. Uns pózinhos melhor que Alpiarça.
O importante é melhorar! :D

PT1 Swim 2 Bike: Mão geladas! Nem conseguia puxar o velcro do fato! Mas lá consegui e novamente encontro um panorama desolador.4 ou 5 bicicletas! Pelo menos não foi difícil de encontrar a minha, há que ver o lado positivo!
Alguma dificuldade para tirar o fato, mas ainda assim pareceu-me mais rápido do que das duas vezes anteriores e lá me fiz à estrada.

Bike: Falo da natação como o meu handicap, mas a pedalar não sou muito melhor. O percurso consistia em 3 voltas ( total 22, 2K) sendo que a primeira parte era contra o vento. Fruto da inexperiência (e da falta de pernas) não consegui seguir nas várias rodas que me foram aparecendo. Ou melhor ainda conseguia ir durante algum tempo, mas bastava um pequeno esticão para não segurar a corda e lá iam eles....
Na duas ou três subidas existentes no percurso também não conseguia pedalar de pé, mais do que 100 metros... As zona com o vento a favor eram música para as minhas cansadas pernas, mas de qualquer forma a recordação que trago deste segmento até é positiva.
51m40s para os 22, 2Km.
Se tiver em linha de conta que este tempo inclui as transições é um ponto a favor, mas ainda assim fraquinho e com uma média por Km inferior a Alpiarça (25.8 km/h contra 26.3 km/h).

PT 2 Bike 2 Run: Entrada para o PT e uma jovem dá um espalhanço à minha frente. Tinha-me esquecido deste pormenor. Não cair também pode ser considerado um ponto positivo.
Desta o vez o cenário é inverso. Centenas de bikes! Por azar a placa dos Porto Runners desapareceu e perco à vontade 2 minutos para trás e para a frente à procura do meu cesto. Fdx!
Finalmente lá o encontro, calço as sapatilhas e saio para a corrida atrás do enorme prejuízo!

Run: o percurso da corrida era em terra batida, mas o treino que tenho feito também não me permite grandes feitos neste segmento. Recuperei algumas posições e não tive as dificuldades de Alpiarça. No final ainda deixei passar a saída para a meta (distrações fatais) e tive voltar atrás para terminar com 01:34:33s a meia hora do 1º!!

Remate final: 2ª prova com as cores do Porto Runners Triatlo! Uma das equipas mais representadas em Coimbra! 1 equipa grande e 1 Grande Equipa! 1 Abraço para eles!


Percurso no Garmin Connect (Bike +Run).

11 abril 2011

III Grande Prémio de Atletismo Águas de Gaia 2011


Participei pela primeira vez na Corrida Aguas de Gaia, cuja grande virtude é ter a partida quase quase à porta de casa. As anteriores edições coincidiram com a Meia da Póvoa e a Maratona de Paris, daí a razão da minha primeira participação.

A prova tinha fama de "montanhosa", mas talvez devido aos "protestos dos roladores" das anteriores edições o percurso foi generosamente alterado e consistia em duas voltas com um sobe e desce pouco desnivelado no centro da cidade de Gaia.
O objectivo era somente manter-me abaixo dos 40 minutos e o novo percurso acabou por facilitar a tarefa, dado que terminei com o tempo de 38m14s (37m07s ).
Na parte final encontrei o Jorge Almeida do CA Ovar em pleno treino para o Ultra Trail da Serra da Freita. Boa sorte para todos os que vão enfrentar esse enorme desafio. Respect!


Percurso no Garmin Connect
autoria de José Correia Dias)

26 março 2011

Triatlo Alpiarça 2011

O Triatlo de Alpiarça Tecnorém (coloco aqui o link para esta empresa dado que acho que se deve destacar o apoio dado ao evento), teve como prova principal a primeira etapa da Taça de Portugal e consistiu na distãncia Sprint (750m+20K
+5K). Organização irrepreensível por parte da Federação com excepção da secretaria (onde apenas vislumbrei 1 pessoa a efectuar o atendimento).

Foi a minha primeira participação com as cores do Porto Runners Triatlo e foi com imenso orgulho que me incluí no grupo de 13 atletas que se deslocaram a Alpiarça.
Dificilmente poderiam existir melhores condições climatéricas dado que esteve um perfeito dia de Primavera, com uma temperatura excelente, ideal para receber perto de 400 tri-atletas!

Desloquei-me bem cedo (7h) na companhia do Jorge Carneiro que me foi dando indicações sobre a sua experiência no ano transacto. Ao chegar encontramos o Leandro que por sorte já tinha levantado os dorsais e isso evitou uma longa espera na fila de secretariado.

Encontramos o Miguel Torres e lá fomos colocar o material no Parque de Transição. A presença de tantos colegas de equipa ajudou a disfarçar o nervosismo próprio da prova. Colocado o fato isotérmico, com o calor que estava (22 graus às 11.30), só deu mesmo vontade de mergulhar nas aguas da Barragem dos Patudos (a agua estaria a 17 graus)!

Feito um pequeno aquecimento cheguei à conclusão que devia pelo menos ter feito 1 ou 2 treinos com o fato! Apertava-me um pouco no peito e não me deixava respirar confortavelmente. Deixei-me ficar para trás, porque para além de nadar devagar (muito devagar) queria evitar contactos (leia-se murros e pontapés) desnecessários.


Natação: Dado o tiro de partida arranquei no meu ritmo, mas não conseguia respirar bem. Ainda assim por momentos pensei que ia conseguir ir no fundo do pelotão, mas foi só mesmo o pensamento.

Habituado à linha guia no fundo da piscina dei por mim a nadar aos "S´s" e com isso a perder bastante tempo. Quando levantava a cabeça já ia com o rumo completamente errado... O resultado ainda assim foi dentro do esperado: estava à espera de fazer 20 minutos e acabei por fazer 21. O pior foi a sensação de desconforto e o sentimento de impotência ao observar toda a gente a ir-se embora....

PT1: Saí da agua com algumas tonturas. Senti na pele a passagem do estado horizontal para o estado vertical, outra coisa que já tinha lido, mas que nem sequer me lembrava...
A remoção do fato foi também algo demorada. Só com muito creme hidratante nos tornozelos consegui arrancar o fato. Estimo talvez em 4 minutos a transição para bike. Mas como não levei relógio não tenho forma de saber.

Bike: Entrei no segmento no preciso momento em que os primeiros completaram a primeira volta. Nem nos meus melhores conseguiria ir na roda deles. Ainda me esforcei, mas aquilo é decididamente outro campeonato. Segui sozinho e abandonado até ser chegar um outro grupo grande que também ia num ritmo que não era o meu. Por volta do K7 fui também passado pelo grupo das primeiras senhoras e aí cheguei à conclusão que preciso mesmo de treinar bicicleta e não passear...
E não fui passado por mais ninguém porque entretanto já todos iam terminando os seus segmentos. Salvou-se apenas o facto de fazer a corrida sozinho e sem ajudas ao bom estilo da regras do IronMan (LOL). Terminei com cerca de 45 minutos, tempo que deve incluir a transição , também dentro do que estava à espera.

PT2: Transição rápida e sem demoras, mas bastante custosa quando começo a tentar acelerar.


Run: Sem treinos de transição para a corrida (isto é o verdadeiro amadorismo) só foi mesmo surpresa para mim o facto de não conseguir correr a sério. O terreno não ajudava dado que ao princípio era um misto de terra solta com gravilha.
Como era um percurso de duas volta ainda cheguei a tempo de ver bastante gente na sua primeira (ou segunda) volta. Isso até me motivou um pouco, mas simplesmente não conseguia andar mais depressa. Fui ultrapassando quem me ia aparecendo, mas só ao fazer retorno é que soube quem é que estava na mesma volta do que eu e já eram muito poucos obviamente. Terminei com cerca de 21 minutos o segmento de corrida, desiludido dado que era a parte onde apostava mais e que acabou por ser a que piorei face ao Triatlo de Gaia.

Tempo Total : 1h 28m 27s

Parabéns a todos os atletas e em especial aos Porto Runners

19 março 2011

Triatlo - Ano Zero

Marco presença amanhã no Triatlo de Alpiarça , primeira prova da época que por sinal vai ser bastante concorrida.
Vou participar pela primeira vez com o símbolo dos Porto Runners Triatlo! Força rapaziada!

Conciliar os treinos de 3 desportos continua a não ser tarefa fácil para mim. O Inverno faz com que dedique muito pouco tempo aos treinos de ciclismo e por isso vou amanhã para a prova com uns "passeios" de bike e uma aventura em BTT que foi mesmo isso: uma aventura!

A única disciplina a que me tenho dedicado com regularidade (média de 3 treinos semanais de 1h cada) tem sido a natação, embora mesmo assim isso seja pouco e não me permita esperar muito do segmento de natação. Continuo bastante lento e qualquer coisa dentro dos 20 minutos para cumprir os 750 metros da prova de amanhã já será um resultado positivo. :S

Depois ( e caso consiga sair da água, esse sim o objectivo primário) será aguentar no ciclismo aquilo que puder, mas desta vez já uma bike de estrada (no Triatlo de Gaia corri com um arado). 45 minutos para 20Km já será positivo!
Na corrida vai ser dar tudo o que tiver e o que não tiver. Vamos ver o que sai, mas se terminar já vai ser bom o que me permitirá acumular experiência nas transições e na modalidade!

Boa sorte para todos os que vão participar!

Corrida Dia do Pai 2011

Esta prova corro-a sempre com um carinho especial e com os olhos bem postos no céu!
Raramente emprego emotividade nos meus posts, mas desta vez dedico-a ao meu Pai na certeza de que ele me está a ver sempre que corro...

Este ano a prova mudou um pouco o percurso e passou a partida para a Praia do Molhe (Foz do Porto). Isto fez com que a prova passasse a ser totalmente plana e com um grau de dificuldade reduzido.
Assinalo com satisfação o facto de a natação contribuir bastante para o facto de conseguir manter os meus tempos de corrida e só isso explica o facto de ter conseguido concluir com 37m30s (embora tenha registado apenas a distância de 9,85Km).

Percurso Garmin Connect



08 março 2011

Trilho Moinhos 2011

Correspondendo a um desafio do meu amigo João Correia participei dia 5 Março no Trilho dos Moinhos, uma prova de BTT excelentemente organizada pelos Amigos da Montanha.
Quero antes de mais agradecer ao João que me recebeu muito bem e tudo fez para garantir que eu ficasse fã de mais esta (difícil)modalidade.

A minha experiência de BTT em provas resumia-se ao Duatlo BTT da Póvoa pelo que fui meramente com o objectivo de participar, embora algo intimidado pela altimetria do percurso que apresentava alguns subidas de respeito, sem saber eu que o meu maior problema iriam ser as descidas.
Como em tudo no desporto a experiência neste tipo de eventos ganha-se nos treinos e nesse aspecto eu ia muito mal preparado!


O percurso do BTT Trilho dos Moinhos teve a extensão de aproximadamente 40km, quase totalmente em caminhos rurais, pedra, estradões, caminhos, pontes de pedra e trilhos. Os primeiros 2 Km foram realizados em estrada e até aproximadamente ao Km 8 segui bastante confortável. O amontoado de participantes era tal que nalgumas zonas mais íngremes toda a gente era obrigada a parar. Nas descidas tudo voltava à normalidade.
O piso nos primeiros Km foi relativamente acessível (terra batida com covas e alguma lama) e rolei bastante bem deixando-me até entusiasmar nas descidas o que me
levou a atingir velocidades assinaláveis para a minha experiência em BTT. Erradamente tentava não descolar dos grupos onde ia seguindo embora ainda assim fosse ultrapassado por bastante gente.

Por volta do Km 8 iniciou-se uma descida aparentemente igual às outras, mas de repente o terreno começa a apresentar bastantes sulcos e pedras maiores do que até ali A velocidade exagerada levou ao pior, e foi impossível evitar um vôo em grande estilo (digo eu) porcima da bike, fazendo-me literalmente provar o sabor da terra de Barcelos.
(foto do tombo gentilmente cedida por Bikes do Andarilho)

Levantei-me de imediato receando os outros participantes que vinham atrás e arranquei logo. O pior é que neste " deslize" fiquei bastante maltratado!
Segui até ao primeiro abastecimento bastante aborrecido comigo mesmo por tamanha imprudência e com muito pouco ânimo para continuar. No tombo raspei com a cara no chão e fiquei com uns valentes arranhões que inclusive me obrigaram a visitar a assistência médica dos bombeiros! Nada de grave, mas sempre chato de acontecer!
Continuei até ao Km 20 , mas desta vez já enfrentava as descidas com muito mais cautela como é óbvio. Pensei para comigo que qualquer Maratona (a correr) é um "passeio no parque" ao lado de uma Maratona BTT (que nem era o caso desta prova que contabilizava apenas 40Km).
Além da resistência e do endurance uma prova de BTT acrescenta ainda o factor "coragem". Adicionalmente é necessária força no braços para segurarmos a bike com firmeza em descidas prolongadas perícia técnica para superar os vários obstáculos. Cheguei ao "reforço", ou seja, ao abastecimento de sólidos (bolas de berlim, croissants e afins) e decidi não prolongar o sofrimento, dado que já não estava a retirar grande prazer da prova e aproveitei para fazer o resto do caminho pela estrada indo directo ao Estádio de Barcelos onde tinha encontro combinado com o João , ou seja, nem sequer fiquei classificado...

Apesar de tudo foi uma boa experiência donde retirei alguns ensinamentos (LOL). Torno a agradecer ao João o convite e o empréstimo de uma das suas bikes, na certeza de que irei experimentar novamente, embora com a certeza também que a próxima vez será certamente num passeio muito mais relaxado! :D







31 janeiro 2011

Meia Maratona Viana Castelo 2011

Creio que as Bolas de Berlim da Confeitaria Natário já rivalizam com a popularidade desta prova. Confesso que não cheguei a ir lá (à confeitaria) para para a próxima vou lá marcar o ponto garantidamente!
Em paralelo também existe um Arroz de Sarrabulho muito apreciado que justifica a presença de muitos atletas em Viana. Quem diz o Arroz diz também outras iguarias da região, pelo que se deseja longa vida a esta prova, porque não é só atletismo que fica a ganhar! :D

Quanto à prova fui novamente na companhia do Rui Pena, João Paulo e Paulo, (atletas e futuro atleta respectivamente) do Triatlo Académica de São Mamede que recomeçam agora a (re)marcar presença na Web e que estão dispostos a receber de braços abertos todos aqueles que queiram abraçar a modalidade. Bem hajam!

Nesta Meia Maratona costumo recolher frutos da provas em que participo durante o mês de Janeiro. Como já aqui referi várias vezes, à partida vou sempre na disposição de baixar os 80 minutos. Não foi possível novamente embora tenha a confiança que se mantiver esta forma até Março vou consegui-lo na Póvoa de Varzim. A ver vamos.

Salvou-se o Recorde Pessoal de 1h21m02s e ao facto de me sentido confortável durante quase toda a prova. Curiosamente o registou ficou comprometido ao 6º e 7º km onde registei os piores parciais,que coincidiram com a parte mais "montanhosa" do percurso (ver garmin connect).

Resultados Aqui

Percurso/Parciais e Altimetria

16 janeiro 2011

12ª Prova de Atletismo de Cesar


Participei hoje na 12ª edição da Prova de Atletismo de Cesar que também englobava o Campeonato de Portugal de Estrada 2010/11.

Desloquei-me na agradável companhia do Rui Pena e do João Paulo, atletas da Académica de São Mamede e como não podia deixar de ser a conversa desenrolou-se à volta do Triatlo e também da prova que íamos correr hoje.

A primeira tarefa foi chegar a Cesar (sem acento!). Se tivesse ido sozinho dificilmente teria chegado a horas, mas o Pena deu com o caminho à primeira! De seguida levantamos os dorsais em tempo recorde, dado que a participação não foi assim tanta (465 atletas na meta).

Pouca participação, mas muita qualidade presente nesta prova!
Logo no aquecimento fomos cruzando caminho com muitos dos melhores atletas nacionais que marcaram presença em representação dos seus clubes e só pela velocidade com que aqueciam já dava para perceber a diferença...

A prova consistia em 3 voltas de 5Km pela Vila de Cesar. À partida falava-se da dureza do percurso com bastantes subidas e descidas.
Decidi efectuar uma abordagem mais calma e evitar terminar "nas lonas".
Tal como na Corrida dos Reis reparei que os primeiros Kms foram retraídos e só aí a partir do 3º km consegui soltar-me.
Passei a primeira vez na meta aos 5 K com 20m30s e pensei que a partir daí fosse sempre a baixar, mas senti-me bem e consegui manter o mesmo ritmo na segunda e terceira voltas. Fui sempre ganhando algumas posições, o que não sendo objectivo dá sempre algum alento, principalmente nas subidas.
Terminei os 15 050 metros oficiais (mesmo um CNE não tem a distância exacta) em 1h00m42s o que pareceu bastante positivo dado que na prova que tenho como comparativo (15Km Festas Cidade do Porto) tenho um registo quase idêntico, mas no percurso quase plano. No meu relógio assinalei 15 250m para 1h0032s, embora com o sprint final me tenha esquecido de parar o cronómetro.

Gostei da prova e do sistema de 3 voltas que permite a quem não conhece o percurso gerir o esforço de uma forma diferente.

Resultados Oficiais

Percurso e Altimetria no Garmin Connect




Curioso também este video que encontrei no YouTube que mostra o momento da partida. Fiquei com a ilusão de ter partido na frente, mas após uma observação atenta só passei pelo "câmara" ao segundo 23, ou seja, bastante lá atrás....

11 janeiro 2011

Campeonato Estrada 2010/11 -12ª Prova de Atletismo de Cesar


O Campeonato Nacional de Estrada 2010/11 decorre este ano em simultâneo com a 12ª Edição da Prova de Atletismo de Cesar.
Aqui fica a informação dado que me pareceu ter sido uma prova pouco divulgada.
Inscrições Online até ao dia 13 Janeiro.

Vou tentar ir para fazer mais um "treininho"...

09 janeiro 2011

Corrida dos Reis 2011 (VN Gaia)


Completei hoje a terceira prova em três domingos seguidos. É uma altura do ano em que a ausência de treinos é substituída pelas provas que acabam por se tornar em treinos de forte intensidade.

Este ano calhou bem uma vez que esta Corrida dos Reis veio substituir a típica São Silvestre de Gaia que normalmente ocorria 1 dia antes da do Porto. Desta forma foi possível recuperar melhor entre cada prova.
O dia amanheceu primaveril, com uma excelente temperatura, sem vento, ou seja, óptimo para correr!

A organização desta vez mediu o percurso em condições, entregou dorsais de véspera, distribuição agua aos 5Km e de bolo rei e chá quente no final da prova, pelo que da minha parte desta vez tenho de lhes endereçar os Parabéns.
(Actualização às 20h : aparentemente a organização falhou no abastecimento de agua aos atletas da cauda do pelotão pelo que retiro os Parabéns que endereçei anteriormente. Fogueira com eles!!Coelho ao Poleiro!) :D (estou a brincar é claro)

Nesta prova tenho a possibilidade de me deslocar a pé para a zona partida e o percurso coincide com o local onde treino a maior parte das vezes (embora poucas vezes ultimamente diga-se em abono da verdade...).

Partida às 10h em ponto! Tentei imprimir o ritmo possível, mas logo no primeiro Km senti as pernas algo "presas" e tive a sensação de que seria uma prova para esquecer, mas depois consegui libertar-me e passar aos 5K com 18m34s sabedor que na segunda parte da corrida iria entrar em perda.
Contrariamente ao que pensei consegui manter um registo muito parecido e finalizei com 37m12s no relógio aos 10Km e 37m34s na meta.

Fiquei bastante satisfeito e optimista para as próximas provas, porque voltei a entrar no minuto 37 aos 10K e principalmente porque terminei em boas condições, talvez fruto do terreno plano em que se desenrolou a prova.

Resultados Publicados Aqui

Reportagem RTP

Percurso e parciais no Garmin Connect (clicar em Ver Detalhes no canto inferior direito)


Próximo desafio: Meia Maratona Viana Castelo (30/01).
Bons Treinos!

02 janeiro 2011

13ª São Silvestre Santo Tirso -2011


Como vem sendo hábito a minha primeira prova do ano é a São Silvestre de Santo Tirso e este ano não foi excepção.

A prova costumava ser ao fim tarde/início da noite, mas desta vez foi alterada para as 9h da manhã, assim como o percurso igualmente modificado e também à oferta dos jesuítas (pastéis locais) que deixou de acontecer, possivelmente pela prova ter perdido o patrocínio. Pela minha parte bem trocava a garrafa de vinho verde pelos jesuítas, mas não pôde ser....

Logo à chegada encontrei dois Veteranos do Porto (Henrique e Paulo Neves) já com um belo treino de bicicleta nas pernas, o Rui Pena, o Novais (Leão de Veneza) a estrear-se em Santo Tirso e os meus companheiros da Areia Rui Sobral e Francisco Lobo. Ainda tive o prazer de conhecer o Vasco Figueiredo que reconheci por ter sido o ciclista que me incentivou na parte final da Maratona do Porto , fase em que já ia muito muito desgastado.

Quanto à minha prova decorreu conforme esperado. Uma semana com nenhum treino de corrida, pelo que não havia muito a esperar, apenas a certeza de ir tentar dar o máximo, o que aconteceu.
Dada a partida e consegui logo encontrar o ritmo pretendido (forte q.b.) em parte resultante de um atípico nº de declives (ver gráfico de altimetria abaixo).

No entanto logo no primeiro Km deu para perceber um desfasamento enorme entre o relógio e a placa que assinalava a distância, o que significava que a prova iria ter mais do que a distância anunciada, o que me a mim particularmente me aborrece bastante.

Já pior que estragado (e ainda não sabia que não haviam jesuítas no fim) lá me deixei ir e passar aos 5k com 18m30, em parte resultantes das referidas descidas...mas...o que desce também tem de subir por isso os restantes 5km só consegui fazê-los num parcial bastante pior de 20m22s, considerando o momento em que atingi 10Km no meu relógio.

Cortei a meta com 42m12s para 10, 75Km.
É minha percepção que o facto de uma prova de 10Km ter mais 1 ou menos 1Km é completamente irrelevante para grande parte das empresas que organizam estas provas. Para mim é mais importante que darem 1 garrafa de vinho foleiro no fim. Vou colocar esta questão à empresa organizadora (que por acaso vai organizar a corrida do Reis em Gaia no próximo fim de semana) e aguardar a resposta.

Resultados São Silvestre Santo Tirso 2011

PERCURSO NO GARMIN CONNECT (clicar em Ver Detalhes no canto inferior esquerdo e mudar para Métrico para ver em Km)