26 março 2011

Triatlo Alpiarça 2011

O Triatlo de Alpiarça Tecnorém (coloco aqui o link para esta empresa dado que acho que se deve destacar o apoio dado ao evento), teve como prova principal a primeira etapa da Taça de Portugal e consistiu na distãncia Sprint (750m+20K
+5K). Organização irrepreensível por parte da Federação com excepção da secretaria (onde apenas vislumbrei 1 pessoa a efectuar o atendimento).

Foi a minha primeira participação com as cores do Porto Runners Triatlo e foi com imenso orgulho que me incluí no grupo de 13 atletas que se deslocaram a Alpiarça.
Dificilmente poderiam existir melhores condições climatéricas dado que esteve um perfeito dia de Primavera, com uma temperatura excelente, ideal para receber perto de 400 tri-atletas!

Desloquei-me bem cedo (7h) na companhia do Jorge Carneiro que me foi dando indicações sobre a sua experiência no ano transacto. Ao chegar encontramos o Leandro que por sorte já tinha levantado os dorsais e isso evitou uma longa espera na fila de secretariado.

Encontramos o Miguel Torres e lá fomos colocar o material no Parque de Transição. A presença de tantos colegas de equipa ajudou a disfarçar o nervosismo próprio da prova. Colocado o fato isotérmico, com o calor que estava (22 graus às 11.30), só deu mesmo vontade de mergulhar nas aguas da Barragem dos Patudos (a agua estaria a 17 graus)!

Feito um pequeno aquecimento cheguei à conclusão que devia pelo menos ter feito 1 ou 2 treinos com o fato! Apertava-me um pouco no peito e não me deixava respirar confortavelmente. Deixei-me ficar para trás, porque para além de nadar devagar (muito devagar) queria evitar contactos (leia-se murros e pontapés) desnecessários.


Natação: Dado o tiro de partida arranquei no meu ritmo, mas não conseguia respirar bem. Ainda assim por momentos pensei que ia conseguir ir no fundo do pelotão, mas foi só mesmo o pensamento.

Habituado à linha guia no fundo da piscina dei por mim a nadar aos "S´s" e com isso a perder bastante tempo. Quando levantava a cabeça já ia com o rumo completamente errado... O resultado ainda assim foi dentro do esperado: estava à espera de fazer 20 minutos e acabei por fazer 21. O pior foi a sensação de desconforto e o sentimento de impotência ao observar toda a gente a ir-se embora....

PT1: Saí da agua com algumas tonturas. Senti na pele a passagem do estado horizontal para o estado vertical, outra coisa que já tinha lido, mas que nem sequer me lembrava...
A remoção do fato foi também algo demorada. Só com muito creme hidratante nos tornozelos consegui arrancar o fato. Estimo talvez em 4 minutos a transição para bike. Mas como não levei relógio não tenho forma de saber.

Bike: Entrei no segmento no preciso momento em que os primeiros completaram a primeira volta. Nem nos meus melhores conseguiria ir na roda deles. Ainda me esforcei, mas aquilo é decididamente outro campeonato. Segui sozinho e abandonado até ser chegar um outro grupo grande que também ia num ritmo que não era o meu. Por volta do K7 fui também passado pelo grupo das primeiras senhoras e aí cheguei à conclusão que preciso mesmo de treinar bicicleta e não passear...
E não fui passado por mais ninguém porque entretanto já todos iam terminando os seus segmentos. Salvou-se apenas o facto de fazer a corrida sozinho e sem ajudas ao bom estilo da regras do IronMan (LOL). Terminei com cerca de 45 minutos, tempo que deve incluir a transição , também dentro do que estava à espera.

PT2: Transição rápida e sem demoras, mas bastante custosa quando começo a tentar acelerar.


Run: Sem treinos de transição para a corrida (isto é o verdadeiro amadorismo) só foi mesmo surpresa para mim o facto de não conseguir correr a sério. O terreno não ajudava dado que ao princípio era um misto de terra solta com gravilha.
Como era um percurso de duas volta ainda cheguei a tempo de ver bastante gente na sua primeira (ou segunda) volta. Isso até me motivou um pouco, mas simplesmente não conseguia andar mais depressa. Fui ultrapassando quem me ia aparecendo, mas só ao fazer retorno é que soube quem é que estava na mesma volta do que eu e já eram muito poucos obviamente. Terminei com cerca de 21 minutos o segmento de corrida, desiludido dado que era a parte onde apostava mais e que acabou por ser a que piorei face ao Triatlo de Gaia.

Tempo Total : 1h 28m 27s

Parabéns a todos os atletas e em especial aos Porto Runners

19 março 2011

Triatlo - Ano Zero

Marco presença amanhã no Triatlo de Alpiarça , primeira prova da época que por sinal vai ser bastante concorrida.
Vou participar pela primeira vez com o símbolo dos Porto Runners Triatlo! Força rapaziada!

Conciliar os treinos de 3 desportos continua a não ser tarefa fácil para mim. O Inverno faz com que dedique muito pouco tempo aos treinos de ciclismo e por isso vou amanhã para a prova com uns "passeios" de bike e uma aventura em BTT que foi mesmo isso: uma aventura!

A única disciplina a que me tenho dedicado com regularidade (média de 3 treinos semanais de 1h cada) tem sido a natação, embora mesmo assim isso seja pouco e não me permita esperar muito do segmento de natação. Continuo bastante lento e qualquer coisa dentro dos 20 minutos para cumprir os 750 metros da prova de amanhã já será um resultado positivo. :S

Depois ( e caso consiga sair da água, esse sim o objectivo primário) será aguentar no ciclismo aquilo que puder, mas desta vez já uma bike de estrada (no Triatlo de Gaia corri com um arado). 45 minutos para 20Km já será positivo!
Na corrida vai ser dar tudo o que tiver e o que não tiver. Vamos ver o que sai, mas se terminar já vai ser bom o que me permitirá acumular experiência nas transições e na modalidade!

Boa sorte para todos os que vão participar!

Corrida Dia do Pai 2011

Esta prova corro-a sempre com um carinho especial e com os olhos bem postos no céu!
Raramente emprego emotividade nos meus posts, mas desta vez dedico-a ao meu Pai na certeza de que ele me está a ver sempre que corro...

Este ano a prova mudou um pouco o percurso e passou a partida para a Praia do Molhe (Foz do Porto). Isto fez com que a prova passasse a ser totalmente plana e com um grau de dificuldade reduzido.
Assinalo com satisfação o facto de a natação contribuir bastante para o facto de conseguir manter os meus tempos de corrida e só isso explica o facto de ter conseguido concluir com 37m30s (embora tenha registado apenas a distância de 9,85Km).

Percurso Garmin Connect



08 março 2011

Trilho Moinhos 2011

Correspondendo a um desafio do meu amigo João Correia participei dia 5 Março no Trilho dos Moinhos, uma prova de BTT excelentemente organizada pelos Amigos da Montanha.
Quero antes de mais agradecer ao João que me recebeu muito bem e tudo fez para garantir que eu ficasse fã de mais esta (difícil)modalidade.

A minha experiência de BTT em provas resumia-se ao Duatlo BTT da Póvoa pelo que fui meramente com o objectivo de participar, embora algo intimidado pela altimetria do percurso que apresentava alguns subidas de respeito, sem saber eu que o meu maior problema iriam ser as descidas.
Como em tudo no desporto a experiência neste tipo de eventos ganha-se nos treinos e nesse aspecto eu ia muito mal preparado!


O percurso do BTT Trilho dos Moinhos teve a extensão de aproximadamente 40km, quase totalmente em caminhos rurais, pedra, estradões, caminhos, pontes de pedra e trilhos. Os primeiros 2 Km foram realizados em estrada e até aproximadamente ao Km 8 segui bastante confortável. O amontoado de participantes era tal que nalgumas zonas mais íngremes toda a gente era obrigada a parar. Nas descidas tudo voltava à normalidade.
O piso nos primeiros Km foi relativamente acessível (terra batida com covas e alguma lama) e rolei bastante bem deixando-me até entusiasmar nas descidas o que me
levou a atingir velocidades assinaláveis para a minha experiência em BTT. Erradamente tentava não descolar dos grupos onde ia seguindo embora ainda assim fosse ultrapassado por bastante gente.

Por volta do Km 8 iniciou-se uma descida aparentemente igual às outras, mas de repente o terreno começa a apresentar bastantes sulcos e pedras maiores do que até ali A velocidade exagerada levou ao pior, e foi impossível evitar um vôo em grande estilo (digo eu) porcima da bike, fazendo-me literalmente provar o sabor da terra de Barcelos.
(foto do tombo gentilmente cedida por Bikes do Andarilho)

Levantei-me de imediato receando os outros participantes que vinham atrás e arranquei logo. O pior é que neste " deslize" fiquei bastante maltratado!
Segui até ao primeiro abastecimento bastante aborrecido comigo mesmo por tamanha imprudência e com muito pouco ânimo para continuar. No tombo raspei com a cara no chão e fiquei com uns valentes arranhões que inclusive me obrigaram a visitar a assistência médica dos bombeiros! Nada de grave, mas sempre chato de acontecer!
Continuei até ao Km 20 , mas desta vez já enfrentava as descidas com muito mais cautela como é óbvio. Pensei para comigo que qualquer Maratona (a correr) é um "passeio no parque" ao lado de uma Maratona BTT (que nem era o caso desta prova que contabilizava apenas 40Km).
Além da resistência e do endurance uma prova de BTT acrescenta ainda o factor "coragem". Adicionalmente é necessária força no braços para segurarmos a bike com firmeza em descidas prolongadas perícia técnica para superar os vários obstáculos. Cheguei ao "reforço", ou seja, ao abastecimento de sólidos (bolas de berlim, croissants e afins) e decidi não prolongar o sofrimento, dado que já não estava a retirar grande prazer da prova e aproveitei para fazer o resto do caminho pela estrada indo directo ao Estádio de Barcelos onde tinha encontro combinado com o João , ou seja, nem sequer fiquei classificado...

Apesar de tudo foi uma boa experiência donde retirei alguns ensinamentos (LOL). Torno a agradecer ao João o convite e o empréstimo de uma das suas bikes, na certeza de que irei experimentar novamente, embora com a certeza também que a próxima vez será certamente num passeio muito mais relaxado! :D