28 junho 2011

Stop!

Paragem forçada mas necessária. Coisa pouca à beira de infelicidades alheias bem mais graves infelizmente ...

Sem histórico de lesões até à data fui surpreendido no início de Maio, após um treino, por um incómodo na zona da virilha. Um análise mais cuidada revelou um pequeno inchaço. Em conversa com colegas que praticam desporto regularmente o diagnóstico foi rápido: hérnia inguinal.

Em véspera de Meia Maratona de Cortegaça optei por ficar de fora com muita pena minha e marquei uma ecografia que veio a confirmar a suspeita.

Parei de treinar corrida e 1 semana depois abdiquei também do Triatlo Sprint de Montemor para não forçar muito. Não estava a treinar nada de especial que justificasse a lesão, mas a verdade é que a dita já cá devia andar a moer há algum tempo, porque já sentia algum desconforto abdominal que sempre associei ao cansaço próprio das provas.

Continuei a nadar e pedalar, com pouca intensidade, porque ainda assim estava decidido a participar na Estafeta do Triatlo Longo de Aveiro fazendo a Meia Maratona. Depois de algumas pesquisas percebi que não é totalmente impeditivo que se continue a treinar e o melhor exemplo que encontrei foi o do Emanuel Silva, atleta olímpico da Canoagem que segundo percebi fez os JO de Pequim com uma destas "à perna"(salvem-se as devidas comparações).

Na própria semana e apesar de não ter dores (creio que eram dores psicológicas) optei por também não fazer esta Meia.
Mais à frente falhei o Triatlo de Peniche onde também gostava de ter ido e mais recentemente o Campeonato de Europa de Age Groups aqui bem pertinho em Pontevedra. Desilusão....

Ou seja, ossos do ofício, mas nada de muito grave, embora só possa ser resolvido de uma maneira: cirurgia.
Sugestionado pela hérnia já me parece ter também sintomas de uma pubalgia! Pfft!

Decisão sábia: parar até resolver isto, em princípio depois das férias na 1ª quinzena de Julho.
Depois voltar com calma, mas prognósticos só depois do jogo... por isso...
Até Já companheiros!!